sábado, 19 de março de 2016

AS FRIEZAS DO INVERNO. Pastora Mérces

https://www.youtube.com/watch?v=5iFcy3JXMWA

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

O QUE É IGREJA?

O que é Igreja?


 

Me preocupa muito o conceito atual de “Igreja” que muitas denominações possuem. Hoje vemos muitas igrejas investindo verdadeiras fortunas em construções enormes e luxuosas, mármores, madeiras caríssimas, exageros e mais exageros, milhares e milhares de lugares, tudo para construir um “templo” para Deus. Fico acompanhando a construção destas mega-igrejas e as chamadas “campanhas” que são feitas para arrecadar as “ofertas” para tal construção. Muitos membros dessas igrejas são seriamente pressionados a estar “lançando sua oferta” para a construção do templo, se não ofertar a pessoa corre o risco de ficar de fora da “benção e da unção especial”.
Não tenho nada contra a arrecadação para construção de um local onde a igreja possa se reunir, pois a necessidade em nosso contexto nos implica a termos um local onde possa acomodar todo o corpo de Cristo. Porém o que vemos por aí é totalmente diferente. Existe muito exagero, enquanto muita gente, até mesmo da própria igreja passam dificuldades financeiras gravíssimas, gastam-se com fortunas para a construção destes luxuosos prédios “5 estrelas”, com direito a camarotes para pregadores e cantores gospel convidados, locais de "honra" para membros da direção da congregação. Uma verdadeira "acepção de pessoas".
O pior de tudo isso é que o conceito de “igreja” está totalmente vinculado a estes templos, como se vivêssemos ainda na época do Antigo Testamento, como se precisássemos ainda de tabernáculos, santo dos santos, arca da aliança, altares e mais altares, como se ainda seria necessário construir templos mais luxuosos e monumentais dos que Salomão construiu em sua época. Estão literalmente recosturando o véu que a Cruz já rasgou, estão reconstruindo o que Jesus derrubou, estão abafando a graça e trazendo a lei novamente para nossos dias! Isto é muito sério. Vejam estas imagens abaixo:

Parece um Maracanã Nos Estados Unidos, o pastor Joel Osteen,
da Igreja Lakewood, prega para uma multidão de 16 000 fiéis
num ginásio esportivo convertido em templo
ao custo de 95 milhões de dólares

O impacto da luz: Por fora, a Catedral de Cristal, na Califórnia,
lembra um prédio de escritórios. Por dentro, as 10 000 placas de vidro
proporcionam uma iluminação natural destinada a "elevar os espíritos"

A fé dos coreanos: A Igreja Yoido Full Gospel, na Coréia do Sul,
e sua imensa mesa de som e iluminação. Os sermões são
transmitidos em coreano, árabe, inglês, japonês e mais cinco idiomas

Dá para chegar de helicóptero: O templo Mega Fráter, na Guatemala,
possui heliporto e uma torre de estacionamento com sete andares.
Seu nome significa Grande Irmão. É o maior templo da congregação
Fraternidade Cristã, com capacidade para 12 000 pessoas

O maior do Brasil: Nos cultos mais disputados, o Templo da Glória,
da Igreja Pentecostal Deus É Amor, em São Paulo, é tomado pelas vozes
de 60 000 fiéis. Uma equipe de 450 pessoas administra a multidão,
que tem à disposição 600 banheiros



Templo maior da IURD - Rio de Janeiro

Conferência profética MIR (Ap. Renê Terra Nova) em Brasília



Conferência profética MIR (Ap. Renê Terra Nova) em Brasília



Festa dos tabernáculos - Sara Nossa Terra - DF
É chocante! Acreditem: Igrejas carismáticas estão trazendo de volta a lei! Com direito a chofás proféticos, bandeiras de Israel para todos os lados, nomes pronunciados em hebraico, etc... Há quem confunda o Templo judaico com os templos cristãos, atribuindo a estes a designação de “casas de oração” que, como se pode ler nos evangelhos (Mt 21:12-17, Mc 11:15-18, Lc 19:46, Jo 2:13-16) se referem ao Templo judaico, onde, aliás, Jesus fez tal pronunciamento quando expulsou dele os vendilhões que o profanavam.
Também é costume apelar a um certo tipo de “reverência” nos templos cristãos, usando um texto, em Eclesiástes 5:1: “Guarda o teu pé quando fores à casa de Deus...”Ora, essa casa, no contexto vetero-testamentário é certamente o templo judaico. Quem aplica hoje esse texto às casas de culto cristão, talvez defenda um culto em que não haja lugar para o convívio entre os participantes, e se pretenda dar mais ênfase a uma espécie de silêncio supersticioso nesse lugar “sagrado”, como se ele fosse mais sagrado do que qualquer outro. Seja como for, parece-nos que aquele texto não pode fundamentar essa pretensão.
Há muitas práticas e atitudes “judaizantes” no cristianismo atual. Estas e outras, de que talvez uma das mais graves é a ênfase que certas igrejas dão ao Antigo Testamento, baseando nele lições e prédicas, sistematicamente, de tal modo que, por vezes, num culto dito “de pregação do Evangelho” não está presente Evangelho nenhum, nem é anunciado Jesus, o Cristo, a Palavra de Deus viva e vivificadora. Apenas antiguidades éticas, poéticas ou históricas, algumas arrepiantes, mas não as Boas Novas de alegria, de paz, de esperança e de amor. Essas igrejas, por vezes, mais parecem sinagogas do que comunidades cristãs. São as chamadas igrejas apostólicas proféticas, muitas delas adeptas ao G12 e similares.
Afinal, desde quando houve "templos" cristãos? Não foi o próprio templo, globalmente, a principal recuperação material proveniente do paganismo?
Os cristãos primitivos tinham templos? O Templo de Jerusalém era um templo cristão? Obviamente que não. Os cristãos, até ao quarto século, reuniam-se em casas particulares, como podemos verificar em múltiplas passagens, por exemplo em Romanos 16:5 e 1 Co 16:19. Mais tarde, chegaram a reunir-se em catacumbas, refugiando-se das ferozes perseguições de que foram alvo. Também se juntavam nas sinagogas e no Templo de Jerusalém, mas esses não eram os seus espaços. Esses espaços pertenciam aos judeus. Os mesmos freqüentavam para dar testemunho de Cristo aos israelitas, procurando evangelizá-los.
Dizem os construtores dos “mega-templos” que estão construindo um “palácio para Deus”. Fico imaginando como essas pessoas interpretam Atos 7:48 onde diz que Deus não habita em templos feitos por mãos de homens. Será que não sabem que Deus jamais habitará em palácios feitos por homens?
Agora, o pior é colocar ainda a salvação do crente vinculada à igreja (templo), ou seja, se não estiver na igreja (templo), está no mundo e não é salvo. Que falta de sabedoria Bíblica!

Por causa desta grande confusão, quero aqui colocar minha análise sobre o assunto. Espero que este artigo sirva de alerta ao Povo de Deus.
Primeiramente precisamos analisar o que não é Igreja e o que é Igreja.
Vou transcrever um texto que saiu na revista Ultimato que expressa exatamente este pensamento:

Igreja não é templo, não é sinagoga, não é mesquita. Não é o santuário onde os fiéis se reúnem para cultuar a Deus. Igreja é gente, e não lugar. É a assembléia de pecadores perdoados; de incrédulos que se tornam crentes; de pessoas espiritualmente mortas que são espiritualmente ressuscitadas; de apáticos que passam a ter sede do Deus vivo; de soberbos que se fazem humildes; de desgarrados que voltam ao aprisco.
Igreja é mistura de raças diferentes, distâncias diferentes, línguas diferentes, cores diferentes, nacionalidades diferentes, culturas diferentes, níveis diferentes, temperamentos diferentes. A única coisa não diferente na Igreja é a fé em Jesus Cristo.
A Igreja não é igreja ocidental nem igreja oriental. Não é Igreja Católica Romana nem igreja protestante. Não é igreja tradicional nem igreja pentecostal. Não é igreja liberal nem igreja conservadora. Não é igreja fundamentalista nem igreja evangelical. A Igreja não é Igreja Adventista, Igreja Anglicana, Igreja Assembléia de Deus, Igreja Batista, Igreja Congregacional, Igreja Deus é Amor, Igreja Episcopal, Igreja Holiness, Igreja Luterana, Igreja Maranata, Igreja Menonita, Igreja Metodista, Igreja Morávia, Igreja Nazarena, Igreja Presbiteriana, Igreja Quadrangular, Igreja Reformada, Igreja Renascer em Cristo nem igrejas sem nome.
A Igreja é católica (universal), mas não é romana. É universal (católica) mas não é a Universal do Reino de Deus. É de Jesus Cristo, mas não dos Santos dos Últimos Dias. Porque é universal, não é igreja armênia, igreja búlgara, igreja copta, igreja etíope, igreja grega, igreja russa nem igreja sérvia. Porque é de Jesus Cristo, não é de Simão Pedro, não é de Martinho Lutero, não é de Sun Myung Moon, não é de Bento XVI.
Em todo o mundo e em toda a história, a única pessoa que pode chamar de minha a Igreja é o Senhor Jesus Cristo. Ele declarou a Cefas: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mt 16.18).
Não há nada mais inescrutável e fantástico do que a Igreja de Jesus Cristo. Ela é o mais antigo, o mais universal, o mais antidiscriminatório e o mais misterioso de todos os agrupamentos. Dela fazem parte os que ainda vivem (igreja militante) e os que já se foram (igreja triunfante). Seus membros estão entrelaçados, mesmo que, por enquanto, não se conheçam plenamente. Todos igualmente são “concidadãos dos santos” (Ef 2.19), “co-herdeiros com Cristo” (Ef 3.6; Rm 8.17) e “co-participantes das promessas” (Ef 3.6). Eles são nada menos e nada mais do que a Família de Deus (Ef 2.19; 3.15). Ali, ninguém é corpo estranho, ninguém é estrangeiro, ninguém é de fora. É por isso que, na consumação do século, “eles serão povos de Deus e Deus mesmo estará com eles” (Ap 21.3).
A Igreja de Jesus, também chamada Igreja de Deus (1 Co 1.2; 10.22; 11.22; 15.9; 1 Tm 3.5 e 15), Rebanho de Deus (1 Pe 5.2), Corpo de Cristo (1 Co 12.27) e Noiva de Cristo (Ap 21.2), tem como Esposo (Ap 21.9), Cabeça (Cl 1.18) e Pastor (Hb 13.20) o próprio Jesus.
A tradicional diferença entre igreja visível e igreja invisível não significa a existência de duas igrejas. A Igreja é uma só (Ef 4.4). A igreja invisível é aquela que reúne o número total de redimidos, incluindo os mortos, os vivos e os que ainda hão de nascer e se converter. Eventualmente pode incluir pecadores arrependidos que nunca freqüentaram um templo cristão nem foram batizados. Somente Deus sabe quantos e quais são: “O Senhor conhece os que lhe pertencem” (2 Tm 2.19). A igreja visível é aquela que reúne não só os redimidos, mas também os não redimidos, muito embora passem pelo batismo cristão, se declarem cristãos e possam galgar posições de liderança. É a igreja composta de trigo e joio, de verdadeiros crentes e de pseudocrentes. Dentro da igreja visível está a igreja invisível, mas dentro da igreja invisível nunca está toda a igreja visível. A Igreja de Jesus é uma só, porém é conhecida imperfeitamente na terra e perfeitamente no céu.



Agora que sabemos o que não é igreja e o que é igreja, vamos para uma análise teológica.
Em 1º lugar, Jesus afirmou categoricamente que o local de adoração não é nem em Jerusalém (Templo judaico) nem em Samaria, nem num monte nem no outro, poisDeus é espírito e o importante é que o adoremos em espírito e em verdade (Jo 4:20 e 24), seja onde for. Quando Jesus expirou na cruz, o véu do Templo rasgou-se de alto a baixo (Mc 15:38) e, cerca de 70 anos depois, toda a cidade de Jerusalém foi destruída (Lc 19:43-44, Mt 24:1-2), incluindo o próprio Templo, do qual resta apenas o muro das lamentações, como se sabe.
Templo de Deus é Jesus, o mesmo disse: Destruí este santuário, e em três dias o reconstruirei.” – referindo-se ao seu corpo. (Jo 2:19-21).
Templo de Deus somos nós: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo que habita em vós...?” ( 1 Co 3:16-17 e 6:19)


A IGREJA SÃO AS PESSOAS

Na verdade a essência do conceito cristão de Igreja não são quatro paredes, não são ogivas e vitrais, não são cúpulas e abóbadas, não é uma torre sineira ou um claustro. Também não é um edifício ao qual se justapõe uma cruz como símbolo ou outro qualquer elemento. Não são mega-templos construídos com ouro, mármore, madeiras caras, nem tampouco galpões enormes com altares vermelhos e púlpito de madeira serejeira.
Através da Bíblia vemos claramente que a Igreja são as pessoas.
A palavra para Igreja no original Grego é “Ekklesia”, que significa “Assembléia de pessoas - congregação - reunião". Ou seja, "são pessoas que se reunem" e não o local onde as mesmas se reunem.
A Igreja não é o templo para a habitação de Deus. Deus não habita num templo feito de pedra ou de mármore mesmo que revestido de ouro. O templo não serve para transmitir a idéia de Deus nem para acolher a Deus.
A Bíblia é bem clara quando refere que Deus não habita em templos feitos pelas mãos dos homens.(At 7:48)



NÓS SOMOS AS CASAS DE DEUS
As casas em que Deus habita somos nós!
“Entretanto, não habita o Altíssimo em casas feitas por mãos humanas; como diz o profeta: O céu é o meu trono, e a terra o estrado dos meus pés; que casa me edificareis, diz o Senhor, ou qual é o lugar do meu repouso? Não foi, porventura, a minha mão que fez todas estas coisas?” (Atos 7.48-50).
Deus nos criou para Ele e é precisamente na reconciliação que reside a essência do plano de salvação que Jesus veio para concretizar e consumou através da Sua morte e ressurreição. Através de Jesus temos acesso ao Pai e podemos viver permanentemente em Sua presença.
Jesus referiu a respeito de si próprio de uma forma muito clara e explícita:
“Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (João 14.6).
O apóstolo Paulo quando pelo Espírito Santo escreve em primeira mão aos Coríntios e depois a todos em toda a parte e em todo o tempo afirma que somos templos em que o Espírito de Deus habita em nós: “Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Coríntios 6.19).
O mesmo apóstolo Paulo ainda escreve aos Corintos: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito Santo habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.” (1 Coríntios 3:16-17)
O autor de Hebreus nos mostra exatamente a superioridade da Graça através de JESUS sobre a Antiga Aliança, a Lei de Moisés, e o mesmo mostra o que é a Casa de Deus na Nova Aliança:
“Pois toda casa é estabelecida por alguém, mas aquele que estabeleceu todas das coisas é Deus. E Moisés era fiel, em toda a casa de Deus, como servo, para testemunho das coisas que haviam de ser anunciadas; Cristo, porém, como Filho, em sua casa; a qual casa somos nós, se guardarmos firme, até ao fim, a ousadia e a exultação da esperança.” Hebreus 3:4-6
Fomos edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, este fundamento é JESUS como pedra angular e, uma vez edificados no mesmo como pedras vivas deste novo edifício, somos a habitação de Deus no Espírito, sendo assim, parte deste edifício feito de pessoas na Nova Aliança:
“Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.” Ef 2:20-22
“também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo.” 1 Pe 2:5



A CASA DE ORAÇÃO
Este é o termo que por excelência traduzia o espaço em que nos reunimos para cultuar a Deus em conjunto e que infelizmente começa a cair em decadência.
Falar com Deus e ouvir Deus é o que significa a oração. Como Igreja nos congregamos para falar com Deus, ouvir Deus e falar de Deus.
Neste sentido a Casa de Oração é um espaço caracterizado não pela grandiosidade ou pela imponência, mas pela simplicidade e singeleza que não são sinônimas de mau gosto e desleixo, antes bem pelo contrário.
Uma Casa de Oração não é compatível com a idéia de uma “obra faraônica”, em que se projeta a ostentação e o poder financeiro.
Como cristão evangélico não defendo de modo algum a construção de catedrais ou basílicas, de mega-igrejas luxuosas que não soam bem com a prática de culto vivo, espontâneo, participativo, festivo, informal. Anseio pela possibilidade de espaços amplos e modestamente confortáveis para acolher todas as pessoas que desejam orar e cantar, louvar e adorar, celebrar e partilhar a fé no Deus que habita em pessoas de carne e osso que o recebem como único e suficiente Salvador e Senhor.
Nestes espaços não há lugar para os ídolos, para imagens, para santos de pedra e madeira, para símbolos pagãos ou para fetiches e amuletos místicos.
A Igreja do primeiro século, no período chamado paleocristão na História da Arte, reunia-se em espaços adaptados. Não temos que nos sentir demasiado desconfortáveis com o fato de nos dias de hoje devido a fatores de ordem politico-social e econômica muitos de nós nos reunirmos em espaços adaptados.



A CENTRALIDADE DA PALAVRA
Na Casa de Oração onde se juntam aqueles que “são Casa de Deus” o elemento que estrutura e organiza o espaço tem que ver com a Palavra através da qual Deus nos fala e nós ouvimos Deus falar. A Bíblia lida e explicada é o elemento central do espaço de culto cristão evangélico porque o alimento do cristão é a Palavra que sai da boca de Deus como Jesus referiu claramente citando as Escrituras: “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.” (Mateus 4.4).
Era assim que acontecia na Igreja primitiva, foi assim que voltou a acontecer com o movimento da Reforma protestante e é assim que hoje em dia nos devemos manter, porque é este o padrão bíblico. Era assim também que sucedia na sinagoga judaica no tempo de Jesus Cristo conforme nos relatam os evangelhos: “Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, segundo o seu costume, e levantou-se para ler. Então lhe deram o livro do profeta Isaías, e, abrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito: O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor. Tendo fechado o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se; e todos na sinagoga tinham os olhos fitos nele. Então passou Jesus a dizer-lhes: Hoje se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir.” (Lucas 4.16-21).



A COMUNHÃO DOS SANTOS
Dois outros elementos marcantes do espaço de culto são o batismo e a mesa da Ceia do Senhor aos quais está intimamente ligado à comunhão dos fiéis. Pelo batismo se expressa publicamente a morte para a velha vida e a ressurreição para a nova vida, e através da Ceia do Senhor celebramos a ressurreição de Jesus até que ele volte. Deixar de ter estes dois elementos na Igreja é caminhar para um buraco herético bem profundo e distante do verdadeiro Cristianismo.


Portanto, finalizo esta postagem desejando que, você que está lendo a mesma possa refletir sobre o verdadeiro significado da Igreja, o significado Bíblico, bem diferente do que vemos hoje em dia em muitas igrejas.
A igreja somos nós em sua essência, os pecadores que são salvos em Cristo Jesus pela graça, em comunhão e unidade, a Igreja invisível universal, porém visível em localidade. Igreja jamais será um templo de quatro paredes construídos por homens. O nosso culto a Deus nunca será resumido em um templo nas reuniões dominicais, em um local cheio de tradicionalismo, de hierarquias, ou de um tabernáculo neotestamentário onde precisaríamos de sacerdotes e de ofertas e olocaustos pelos nossos pecados. O nosso culto a Deus sempre será racional, com base na Palavra, em nossas próprias vidas, 24 horas por dia, pelo resto de nossa história, e também através de nossa unidade em Cristo como Igreja, vivendo crescendo como Corpo de Cristo verdadeiramente, tudo isto graças a Nova Aliança, através de Jesus temos acesso ao Pai, e temos a promessa de vida por toda a eternidade, Aleluia.
Realmente precisamos repensar nosso conceito de Igreja!
Em Cristo, Ruy Marinho
fonte: 
http://bereianos.blogspot.com.br/

POSTAGEM: Pastora Merces Vasconcellos

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

HERMENÊUTICA E PODER

Com efeito tenho visto alguns irmãos fazerem um uso errado do “poder” que lhes permite a Hermenêutica e a Exegese. Munidos de princípios interpretativos, capazes de reconhecer aspectos hermenêuticos aqui e acolá, usam esse “poder” para mostrar seu próprio posicionamento em determinadas discussões teológicas, algumas históricas até, mas sempre recorrendo ao argumentum add hominem. Atacam aqueles que são seus próprios irmãos em Cristo por terem convicções hermenêuticas diferentes. Chamam-nos de “crentelhos”, “ignorantes”, entre outros pejorativos. Assim, paradoxalmente, estamos vendo muitos jovens sendo imbecilizados em seminários e faculdades teológicas na medida em que o “poder” hermenêutico lhes é conferido. A Hermenêutica é assim usada para agredir, ferir, pisar. Interpreta-se conceitos, obscurece-se a fraternidade. Domina-se os princípios, perde-se a tolerância. O “poderoso” hermeneuta se aproxima do autor bíblico, distante dele milênios, e se afasta do seu irmão, que mora ao lado. Isso, de ambas as partes. Chocante realidade! A Hermenêutica, assim como o E=MC2, é usada para finalidades destrutivas. Precisamos repensar o uso que estamos fazendo da Hermenêutica e da Exegese, hoje, especialmente nas mídias sociais. Teologia é liberdade, é diálogo, é discordância que aceita o outro… é humana! E mais que isso, deve ser de fato cristã. Onde houver teologia, ali deve haver também respeito.
RICARDO, Roney. Hermenêutica e Poder. Vila Velha: 2016.

domingo, 29 de novembro de 2015

MULHER VIRTUOSA QUEM A ACHARÁ?


"Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis(o de finas jóias)"
(Provérbios. 31.10).
 
Você sabia que a palavra que costuma ser traduzida como virtuosa, aqui, realmente significa muito mais?

A palavra hebraica que Deus usa para definir um padrão para as mulheres cristãs que ainda se mantém até hoje é "chayil". Durante este tempo na história, chayil ,teria sido usado para descrever grandes exércitos e guerreiros! É um adjetivo que significa forte, poderoso e potente! Firme. 

Dizem que mulher chique nunca desce do salto. Faz tudo de salto alto. Em nossa vida espiritual somos mais chiques do que imaginamos, mas por uma razão ou outra, muitas vezes descemos do salto. Desistimos de lutar pelos nossos ideais, pelo futuro dos nossos familiares, desistimos de nós mesmas. Mulher que não desce do salto, espiritualmente falando, é aquela que briga com urso, mata leão e derruba gigante. Mulher chique, enxuga as lágrimas, mostra suas fraquezas somente para Deus e para o inimigo mostra somente suas forças. Não descer do salto é concordar com Deus e sua Palavra, mesmo que o mundo inteiro diga o contrário. Não descer do salto em sua fé é não se acovardar e nem retroceder por causa das dificuldades. É remar contra a maré, e não se conformar com as ridículas regras do mundo. Nunca descer do salto na vida espiritual de uma mulher, é tirar os olhos da circunstâncias e está de olho Naquele que te cuida e te sustenta. Mesmo que você as vezes dê um descanso aos pés, descendo do salto, na vida espiritual, é de salto, debaixo do sangue de Cristo Jesus e na autoridade do Seu sangue que pisamos as serpentes e escorpiões. Deus nos dá o direito de sermos chiques e nunca descermos do salto. Fique firme, Deus te fez chique, 
NÃO DESÇA DO SALTO.

https://www.pastora-merces.com
www.facebook.com/PastoraMercesVasconcellos

domingo, 14 de junho de 2015

SEXUALIDADE NATURAL OU SODOMISMO?

SEXUALIDADE NATURAL OU SODOMISMO?

Estive pensando em escrever algumas coisas sobre o que houve no último Domingo dia 07-06 -15, em São Paulo, durante o evento denominado "Parada Gay" e a polêmica envolvendo alguns comportamentos desse grupo ideológico, que usaram "símbolos religiosos" e encenaram a pessoa de Jesus Cristo sendo crucificado.  
A Constituição brasileira em seu artigo 5º diz que:
Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;
Primeiramente preciso deixar bem claro que assim como DEUS amou e ama a TODAhumanidade, eu sendo um Cristão, tenho o dever de também amar a TODOS os seres humanos, sem fazer qualquer tipo de discriminação ou distinção de cor, raça, cultura ou classe social. No entanto, precisamos fazer uma separação entre a pessoa do ser humano em si e os seus atos que são feitos por livre arbítrio, os quais devem ser de sua total responsabilidade. Ou seja, eu posso amar alguém e ainda assim discordar de algumas de suas atitudes, considerando que elas ferem princípios morais milenares, que regem o bom convívio comportamental e moral da raça humana.
Minha intenção aqui não é esgotar o assunto, mas trazer a debate alguns princípios e conhecimentos a respeito da sexualidade humana. 
Também ressalto que o comportamento sexual humano pode mudar a todo instante e não é algo digamos inato ou imutável, como algumas pessoas defendem.
Quero novamente reforçar que existe uma enorme divisão de comportamento entre o grupo denominado GLBTT (gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais, etc). Portanto, ao me referir ao comportamento libertino de alguns deles, não estou com isso generalizando o grupo como um todo.
Algumas imagens que rodaram os noticiários na TV Brasileira e também viajaram o mundo através das redes sociais nos últimos dias, deixaram muitas pessoas (principalmente Cristãos) bastante insatisfeitas e ofendidas.
Refiro-me por exemplo a imagem da transexual “pregada” em uma cruz, imitando o ato de Jesus Cristo, pedindo pelo fim da “homofobia”.
A "atora" e o grupo que apoia o movimento GLBTT, alegam que o ato ocorrido na parada gay, foi apenas um protesto de cunho artístico e não um deboche contra Jesus Cristo ou os cristãos.
Traduzindo a imagem em palavras, eles estão alegando que a sociedade tradicional (fundamentalista) está crucificando as pessoas que fazem parte do movimento GLBTT, ao discordar e reprovar suas condutas de vida quanto aos seus "pseudo-gêneros" e as suas respectivas "pseudo-identidades sexuais."
Que a discriminação contra os LGBTT existe no Basil e no mundo isso é fato, mas eles não devem se fazer de vítimas - como se não fossem responsáveis por estarem como estão, e ainda colocarem a culpa na sociedade por tudo de ruim que ocorre com eles.  
Diante dessas alegações e dos fatos, vou fazer e responder algumas questões, baseado nas experiências e no conhecimento que adquiri sobre o assunto durante mais de duas décadas.

Qual a essência e o papel da sexualidade Humana?
A visão criacionista defende que DEUS criou todas as coisas com um propósito, inclusive a raça humana. Então DEUS criou os seres humanos a sua imagem e semelhança.
“E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” (Gênesis 1:27)
Isso quer dizer que temos o caráter de DEUS, e suas características e sentidos como: pensar, ver, ouvir, sentir, amar, bondade, honestidade, amizade, etc.
Quanto a sexualidade, Deus ao fazer primeiramente o HOMEM, mas viu que não era bom que ele ficasse sozinho, e resolveu fazer em seguida a MULHER.
“E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.” (Gênesis 2:18)
Percebemos que DEUS percebeu que o homem precisava de alguém para poder auxiliar e completar sua vida.
“E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.
Então o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar;
E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.” (Gênesis 2:23-22)
Em seguida Deus institui o que seria mais para frente o matrimônio, unindo-os pelo casamento em uma só carne.
“Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.” (Gênesis 2:24)
Sendo assim, entendemos que o propósito para a criação da mulher é preencher uma lacuna que existia na vida do homem.
Portanto, a sexualidade não pode ser traduzida simplesmente por um rótulo. Termos como: “homossexual”, “heterossexual”, “bissexual”, “transexual”, “travesti”, “assexuado”, “pansexual”, entre outros, foram todos criados pela mente humana, na tentativa de rotular os comportamentos das pessoas, na tentativa de encontrar a existência de uma provável “diversidade natural” de gênero e de orientação sexual.
O interessante é que antes mesmo de descrever como a mulher seria formada, Deus já os havia abençoado e determinado que eles deveriam se multiplicar e povoar a terra.
“E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.” (Gênesis 1:28)
“lobby gay” não se trata de SER ou não SER, mas de ESTAR ou nãoESTAR vivendo esse comportamento Sodomita. Portanto a essência da sexualidade natural planejada por DEUS deve preencher alguns requisitos como:
1)     Dualismo – Significa que é necessário que haja gêneros distintos (homem e mulher) para que possa cumprir o propósito sexual natural;
2)     Complementariedade  Representa a cópula do órgão sexual masculino (pênis) com o órgão sexual feminino (vagina) proporcionando-lhes prazer sexual mútuo;
3)     Fecundação – Somente na relação entre o homem e a mulher, poderá haver a procriação da raça humana, pois ambos têm seus devidos sistemas reprodutivos, que através dos hormônios tornam possível a geração de um outro ser humano.
“E coabitou Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem.” (Gênesis 4:1)
Portanto, concluímos que a relação de cunho erótico e homossexual entre pessoas do mesmo gênero, ou seja, entre dois homens ou duas mulheres, não possibilita o cumprimento dos propósitos de DEUS, sendo assim reprovada pelo Criador por se tratar de um comportamento SODOMITA = SODOMISMO.

O desejo e o comportamento de uma pessoa que alega ter sentimento de atração física por outra do mesmo sexo é natural e saudável?
Não. Este sentimento não faz parte da natureza criacionista ou saudável para a sexualidade humana. Porém, ele faz parte da natureza pecaminosa da raça humana, assim como qualquer outro sentimento ou comportamento que erra o alvo do propósito de Deus para sua criação. 
"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus." (Romanos 3:23)
Sabe-se que a Bíblia desde o princípio reprovou tal comportamento e quem o cometesse seria punido inclusive com morte. A mesma punição também servia para quem cometesse adultério por exemplo. No entanto, esta era a lei de Deus que deveria ser seguida pelo povo Judeu (Judaísmo) antes da vinda de Jesus Cristo. (Levítico 18.22)
Jesus pagou na cruz o preço de todos os pecados cometidos pelos seres humanos, inclusive os pecados sexuais, para reconciliar-nos com DEUS.
“E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação;
Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.”
(II Coríntios 5:18-19)
“Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;” 
(I Pedro 3:18)
Portanto, hoje em dia a pena de morte não dever ser mais aplicada nem para o pecado de Sodomismo ("homossexualidade") e nem para o adultério. (João 8.1-11)
Contudo devemos pregar o arrependimento de pecados para todos.
"E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;" (Atos 2:38)
O resultado da rebelião contra a Palavra e os princípios morais de DEUS são:
"Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si;
pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém!
Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza;
semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.
E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes, cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, caluniadores, aborrecidos de Deus, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia.
Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem,
mas também aprovam os que assim procedem."
(Romanos 1.24-32)

O desejo homoafetivo e as relações homossexuais é uma doença?
Para a ciência, atualmente o ato homossexual em si não constitui uma doença, embora estudos tenham comprovado que este desejo está diretamente ligado a distúrbios mentais, causados por traumas vividos nas relações familiares da criança. Porém, para evitar discriminação, desde 1973 a APA (Associação Americana de Psicologia) criou uma resolução que proíbe que se chame os LGBTT de doentes. Por isso tiraram o "Homossexualismo" do rol das CIDS da OMS e passaram a usar o novo termo "Homossexualidade".
No entanto, o excesso em manter tais relações caracteriza-se compulsão sexual, passando a enquadrar-se como patologia e um distúrbio mental. A OMS considera alguém neste estado doentio, classificando-o como um compulsivo sexual (CID 10 - F52.7 = Apetite Sexual Excessivo). Esse distúrbio pode afetar qualquer ser humano, independentemente de sua preferência sexual.
O próprio autor da resolução explica o que houve de fato na APA.
Veja neste vídeo abaixo o que ele diz Clique aqui
Ou leia a entrevista Clicando aqui
O que se tem ensinado por aí, é que a pessoa nasce predestinada a ser LGBTT, e que por isso, TODOS devem aceitar e concordar com o que eles se dizem ser. No entanto tal alegação não passa de mais um mito, uma desonestidade intelectual usada pela militância do movimento, na tentativa de fazer a sociedade apoiá-los. Entretanto, todas as pesquisas que os cientistas fizeram na tentativa de mapear uma possível “genética LGBTT”, não trouxeram resultados conclusivos, mas apenas teorias e suposições.

Quais as causas que levam uma pessoa a desenvolver desejos e manter relações homoeróticas?
Segundo Kinsey, Pai da sexologia autor do relatório Kinsey citado por vários estudiosos da psicologia sexualidade inclusive por Cameron e Bell, outros estudioso na área citados e usados como referência pela sexologia, psicologia, psiquiatria e por diversos estudiosos no mundo e principalmente pelos movimentos da luta de direitos da homossexualidade.
Existem inúmeras razões para que uma pessoa se torne homossexual, são elas:
  •        22% – Experiência precoce com adultos ou pares do mesmo gênero;
  •        16% – Contato contumaz com ambiente homossexual;
  •        15% – Relacionamento distante com a mãe;
  •        14% – Relacionamento distante com o pai;
  •        15% – Desenvolvimento incomum (“bulling” de ‘mariquinha’, ‘bichinha’, gayzinho, etc.);
  •        12% – Parceiros heterossexuais indisponíveis (Ex: confinamentos na prisão);
  •        9%   – Falta de habilidade social (timidez excessiva);
  •        9%   – “Ainda não se explica cientificamente”.
Outras causas possíveis que levam a pessoa ao "homossexualismo":
a)   Ruptura na vida familiar na infância, adolescência ou até mesmo na juventude;
b)   Rejeição e falta de amor incondicional por parte de um dos pais. Muitas mães tentam abortar os filhos e muitos pais abandonam o lar;
c)   Falta de identificação com o pai do mesmo sexo. A pessoa carente vai buscar de um pai ou uma mãe nos parceiros sexuais;
d)   Mãe dominadora e pai pacato com pouca autoridade;
e)   Abuso sexual feito por alguém próximo, podendo ser até mesmo da família;
f)   Ação de demônios como a pomba gira, que atua por legalidade dada pela família em rituais satânicos;
g)   Curiosidade e apenas busca por prazer sexual mesmo.

Olha que dados interessantes. O médico Americano, Charles Davenport, tentou quantificar a longo prazo o comportamento de meninos afeminados. Dos 10 garotos que ele acompanhou até a vida adulta, 4 viraram héteros, 2 viraram gays, 3 ficaram incertos sobre sua orientação sexual e apenas 1 deles virou transexual e quis trocar de sexo.
Fonte: SER
Este é apenas um dos diversos estudos feitos mundo afora, que comprova a possibilidade e o sucesso de mudança e reorientação, tanto no pensamento, no desejo quanto nos comportamentos que envolvem a sexualidade humana. Portanto, sabemos que ninguém nasce sabendo já das coisas, mas que todo comportamento é aprendido a partir de um modelo de autoridade. Então se aprendemos algo de forma errada, tal comportamento pode ser modificado e abandonado.
É possível a pessoa mudar o comportamento e superar os desejos homoeróticos?
Sim. É totalmente possível abandonar o estilo de vida LGBTT e ter sua libido e a identidade heterossexual naturalmente restauradas.
Em uma entrevista dada pelo Psicólogo clínico Norte Americano Joseph Nicolosi. Ph.D. pela California School of Professional “Psycology” (Escola da Califórnia de Psicologia Profissional), atualmente ele faz parte da NARTH (National Association for Research and Therapy of Homosexuality – Associação Nacional de Pesquisa e Terapia da Homossexualidade).
A Terapia de Reorientação Sexual ou Terapia Reparativa, tem como objetivo buscar ajudar as pessoas a vencerem ou reduzirem seus sentimentos homossexuais indesejados.
Na base do seu estudo e carreira profissional, Nicolosi propõe que a “homossexualidade”, é, em muito casos, o produto de uma condição que ele descreve como deficit de identidade sexual, causada por alienação ou rejeição vindas de indivíduos do mesmo sexo. 
Para maiores informações acesse o site da NARTH
Leia a entrevista no link abaixo clicando aqui
Ou veja o vídeo da entrevista clicando aqui

Um outro site também conta várias histórias e casos de pessoas que saíram do meio LGBTT e conseguiram superar seus desejos homoafetivos, passando a manter relações heterossexuais.
Para acessá-lo clique aqui.
O que diz o CFP (Conselho Federal de Psicologia?
Infelizmente no Brasil, leis arbitrarias e ideológicas criadas pelo CFP sem qualquer base ou comprovação cientifica, tem proibido a pessoa de buscar ajuda Psicológica para superar seus traumas e distúrbios ligados aos comportamentos homoerótico, ao transtorno de identidade de gênero e sexualidade.

O CFP, por meio da Resolução n° 01/99, estabelece que:

Art. 1° - Os psicólogos atuarão segundo os princípios éticos da profissão,
notadamente aqueles que disciplinam a não-discriminação e a promoção e bem-estar
das pessoas e da humanidade.
Art. 2° - Os psicólogos deverão contribuir, com seu conhecimento, para uma
reflexão sobre o preconceito e o desaparecimento de discriminações e
estigmatizações contra aqueles que apresentam comportamentos ou práticas
homoeróticas.
Art. 3° - Os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização
de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente
a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.
Parágrafo único - Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que
proponham tratamento e cura das homossexualidades.
Art. 4° - Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos
públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos
sociais existentes em relações homossexuais como portadores de qualquer desordem
psíquica.
Em seu livro: Homossexualidade Masculina: Escolha ou destino? o autor Claudemiro Soares declarou que:
"Ao que parece, o CFP decretou que os profissionais da Psicologia não podem estudar
o fenômeno da mudança de orientação sexual, nem podem teorizar sobre esses
fenômenos. Essa decisão corresponde ao que muitos chamariam de “estabelecer a
verdade por decreto”.
Em outras palavras, parece-me que o conselho esta definindo que o grupo LGBTT esta isento de sofrer desordens psíquicas relacionadas aos seus desejos e comportamentos sexuais. 
Então ficou quase implícito que apenas as relações heterossexuais, podem apresentar desordens sexuais patológicas. 
Seria isso mesmo?

Como devemos nos portar diante das pessoas que se envolveram com comportamentos LGBTT?
Três coisas que devemos fazer quando descobrimos que uma pessoa viveu ou está vivendo em práticas homossexuais.
   1)   Admitir - Os pais precisam observar melhor os filhos. A conduta deles, com quem eles saem, onde vão, etc. Ser incrédulo e tentar negar o problema não vai resolvê-lo.
   2)   Amar - Nada de recriminar, rejeitar, criticar ou excluir a pessoa;
   3)   Ajudar - Tem trabalhos sérios como a Êxodos Brasil, SER (Sexualidade e Restauração), que dão assistência aos homossexuais (LGBTT), levando-os à Cristo e tratando-os. 
    Acesse os sites clicando abaixo:       
     Exodus Brasil
A discriminação e o preconceito contra os GLBTT existe no Brasil?
Sim. Obviamente isso existe em todos os setores e classes da sociedade. Porém, o que tem havido no Brasil é uma precipitação ao associar a discriminação e a homofobia com o direito das pessoas de se posicionarem sobre o tema. Ou seja, te, ocorrido uma confusão entre a liberdade de opinião e expressão, que está sendo considerada como crime de “Homofobia”, sendo que essa lei nem foi definida ou aprovada pelo parlamento ainda.
O que vem a ser a homofobia tão falada no meio LGBTT?
Como não há um conceito formal ainda definido, muitos defendem que se trata de uma pessoa que tem um discurso de ódio, discriminação e aversão por pessoas que se declaram ou tem um comportamento homossexual, ou seja, LGBTT. No entanto, o fato de alguém simplesmente discordar dos comportamentos desse grupo de pessoas, não significa que tal pessoa seja homofóbica.
Contudo, baseado em meus estudos e experiências, a Homofobia existe inclusive entre os LGBTT. Um exemplo claro dessa evidência é constatado no comportamento de pessoas do próprio meio, conforme descrito abaixo. 
  • A maioria dos homossexuais discretos odeiam e rejeitam os afeminados.
  • A maior parte dos homossexuais não assumidos, hostilizam e detestam os assumidos. 
  • Se a pessoa se declarar Bissexual entre eles, quase sempre também será discriminada, pois muitos alegam que: ou você é 100% heterossexual ou é totalmente gay e está apenas querendo enganar os outros falando que gosta do sexo oposto. Portanto, eles vão alegar que a pessoa finge gostar do sexo oposto, para tentar amenizar o preconceito que sofre por parte da sociedade.
  • Os próprios transexuais declararam que se sentem excluídos pelos demais membros da militância LGBTT.
    Na verdade o que existe no meio LGBTT entre o próprio movimento é uma grande disputa por aceitação da sociedade,além de interesses pessoais e de ONG´S que são financiadas pelo Governo Federal. Porém, como já foi descrito, eles mesmos não se aceitam da forma como o são.
    Existem países em que a pessoa que for pega em relações homossexuais, sofre duras penas, inclusive até a morte. 
    Uma imagem para refletir.


    A discriminação e o preconceito contra os cristãos (principalmente evangélicos) existe no Brasil?
    Sim. Obviamente isso também existe em todos os setores e classes da sociedade. No entanto, não vemos evangélicos querendo criminalizar as pessoas por que elas não concordam com suas crenças religiosas.
    Essa imagem abaixo colocada por hackers no site do pastor Marcos Feliciano no último dia 7-06-2015, retrata a intolerância. o discurso de ódio e a falta de respeito (Cristofobia) da militância LGBTT.
    Um amigo meu alegou o seguinte no facebook:
    “Cristofobia não existe num país (Brasil) onde a grande maioria da população é cristã.” 
    Vou discordar dessa visão pelo seguinte fato. Para que uma determinada classe de pessoas sofra algum tipo de discriminação e preconceito, ela não precisa necessariamente ser a maioria. Ou seja, uma nação pode ser em sua maioria de um determinado credo religioso e ainda assim ter pessoas que desrespeitem essa religião de forma agressiva e odiosa. É isso que existe muito no Brasil, principalmente contra os cristãos evangélicos.
    Existe um vídeo nas redes sociais em que um líder militante do movimento ativista LGBTT faz discurso de ódio contra evangélicos, ameaçando inclusive (se preciso for) pegar em armas para defender seus ideais. Este é um exemplo de radicalismo mais que suficiente para comprovar meu argumento.
    Veja o vídeo clicando aqui

    De quem é a responsabilidade pela humanidade ter caído em degradação moral e estar sendo cada vez mais sodomizada em nossos dias?
    Bom, no meu modo de ver essa responsabilidade deve ser dividida entre três partes iguais:
    1)   A Família
    1/3 da culpa dos filhos estarem envolvido em problemas sexuais é dos pais. Infelizmente muitos tem falhado no ensino teórico e principalmente no convívio prático dos princípios do evangelho. A responsabilidade de educar os filhos desenvolvendo um relacionamento amoroso de intimidade com os filhos é primeiramente dos pais. O tabu que existe em torno do tema sexualidade junto com a falta de conhecimento e as falhas pessoais, fazem com que os filhos não sejam orientados de forma correta, tendo o desenvolvimento de sua identidade de gênero e sexualidade, prejudicados pela negligência daqueles que são os principais responsáveis por educá-los. É na base familiar que surgem os desvios de personalidade e de caráter que precisam ser identificados e tratados por meio de um processo de restauração.
    “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.” (Provérbios 22:6)
    “E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.” (Efesios 6.4)
    2)   A Igreja
    1/3 da culpa por pessoas estarem caindo em pecados sexuais é das lideranças e de membros que compõem o corpo de Cristo. Todo sentimento e atitude que envolve a sexualidade humana, só pode ter influência ou ligação com espíritos benignos ou malignos. Como sabemos pela Palavra que sua raiz não provém de DEUS, ela só pode vir de satanás. Por isso, o papel da igreja é atuar no campo da espiritualidade através do ensino e do discipulado das vidas que vem a Cristo. O tabu e a discriminação também têm criado dentro da maioria das igrejas, uma barreira que impede um ensino mais profundo dos temas sexo e sexualidade. Não basta a pessoa saber o que é errado fazer, ela tem que aprender a fazer o certo e de forma prática. Para que isso seja possível, faz-se necessário que haja um preparo que resulte em conhecimento da Palavra de Deus e a forma de viver em família conforme os princípios do evangelho de Cristo. O resultado será uma família de cristãos que tem personalidades sadias, fortes e santificadas.
    “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
    ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” 
    (Mateus 28.19, 20)
    3)   A própria pessoa
    1/3 da culpa pelos erros cometidos na área sexual é da própria pessoa. Cada indivíduo é responsável por dominar o que crer, pensa, sente, fala e escolhe fazer do seu corpo nesta vida. Ainda que as figuras de autoridade tenham falhado conosco, isso não tira a nossa responsabilidade de acertar o alvo, respeitando e obedecendo os mandamentos de Deus.
    “Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento.
    Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.
    Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao SENHOR e aparta-te do mal;
    será isto saúde para o teu corpo e refrigério, para os teus ossos.” 
    (Proverbios 3.5-8)
    “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo.
    Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa),
    para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.” (Efesios 6.1-3
    Portanto, cada parte deve assumir sua parcela de culpa e todos devem se perdoar mutuamente.

    Qual a forma de amenizarmos todos esses conflitos sociais que envolvem o tema?
    Bom, todo excesso radical e intolerância se tornam algo destrutivo. Cada pessoa em determinada idade é responsável por suas ações.
    Os sábios do passado já costumavam falar o seguinte:
    Discipline os seus pensamentos, pois eles tornam-se as suas palavras;
    Discipline as suas palavras, pois elas tornam-se as suas ações;
    Discipline as suas ações, pois elas tornam-se os seus hábitos;
    Discipline os seus hábitos, pois eles formam o seu caráter; Discipline o seu caráter, pois ele se torna o seu destino.
    O ser humano é um indivíduo que tem suas próprias características individuais. Ou seja, ninguém vai conseguir impor algo ao outro de maneira a modificá-lo por seus próprios esforços.
    A missão da igreja como já mencionei é amar as pessoas e levá-las a Cristo. Cabe ao Espírito Santo a função de convence-las de seus pecados,curá-las e restaurá-las em sua identidade sexual.
     “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei.
    E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.
    Do pecado, porque não crêem em mim;
    Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais;
    E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.
    Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.
    Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.” (João 16:7-13)
    Outro recado dado por Paulo é que devemos julgar os cristãos que estão dentro da igreja, que as pessoas de fora Deus os julgará.
    “Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro?
    Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo.” 
    (I Coríntios 5:12-13)
    Portanto, se a pessoa não tem Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador, ela necessita antes experimentar a conversão. Então vamos primeiramente confrontar pecados sexuais na vida daqueles que estão no seio da igreja, pois eles precisam igualmente de restauração na área sexual. 
    Tem muitos cristãos dentro das congregações evangélicas que já viveram ou até mantém ainda relações homoeróticas, mas que não estão ainda libertas. Enquanto tais pessoas se mantiverem fechadas e não assumirem nem confessam os seus pecados sexuais aos líderes, elas não serão restauradas. 
    Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa?
    Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.
    Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.” (I Corintios 5:6-8)
    Infelizmente o que impede muitos de se abrirem para seus líderes, é o medo do preconceito e da discriminação que venham a sofrer por parte da igreja de modo geral. Dessa forma essas pessoas ficam fracas e não prosperam na fé, o que realmente acaba atingindo todo o Corpo de Cristo como um todo.
    "Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também." (Iª Coríntios 12:12)

    Referências:  relatório kinsey ;( Bell, Allan; Weinberg, Martin; Hammersmith, S. Sexual Preference Its Development jn Men and Women. Bloomington: Indiana University Press, 1.981. – iden : Cameron, Paul; Camern, Kirk. What is an Homossexual. Journal of the Family Research Institute, 16/06/2.000 ).

    Se tiver alguma pergunta a fazer comente aqui ou envie um e-mail para: sexualidadenatura@gmail.com
    Que Deus abençoe sua vida.
    Ney F. dos Santos Silva (Teólogo e conselheiro sexual)Fonte: sexualidadenatural.blogspot.com.br/